1. Blog
  2. Desenvolvimento pessoal
  3. Como anda seu HD Mental?

Como anda seu HD Mental?

09 de fevereiro de 2021
Desenvolvimento pessoal
por Juliana Trivellato

Você já deve ter passado por essa situação: seu celular ficar sem espaço para novos itens. São tantas fotos, vídeos, aplicativos, backups de conversas. De tempos em tempos, ou a gente descarrega tudo que está ali, ou a toda hora, nos momentos mais inconvenientes, o celular vai nos lembrar que está cheio... 

Nesse sentido, vale notar uma coisa interessante: na nossa mente acontece exatamente a mesma coisa. Vão ficando guardadas informações, imagens, ideias, lembranças, conversas, tarefas, desejos, e muitas coisas que a gente não sabe nem o que é. Coisas que valem um tesouro, coisas que só ocupam espaço, coisas que podem mudar a nossa vida, coisas extremamente corriqueiras - todas misturadas.

Sabe como funciona esse lugar de armazenamento da nossa cabeça? Igual ao do celular. Ele tem espaço limitado. E se a gente não cultiva o hábito de organizar e esvaziar a nossa própria casa interna, ela fica com seu funcionamento comprometido. Assim como no celular, vai ficar impossível instalar algo novo. 

Pra se ter uma ideia, atualmente, uma única edição de um jornal como o New York Times contém mais informações do que uma pessoa comum receberia em toda a sua vida, na Inglaterra no século XVII. Uma loucura, né? Isso quer dizer que a gente nunca colocou tantas coisas nessa nossa memória interna, como nos tempos atuais. É razoável entendermos porque nos sentimos frequentemente confusos, exaustos e com a sensação de que não cabe mais informação. Pois é, talvez não caiba mesmo. 

Essa superlotação em nossa memória interna nos impede de aprender coisas novas, de criar memórias, de conseguir paz e silêncio em nosso “salão mental”. Ter ideias criativas, então, se torna uma tarefa bastante difícil, afinal, como é que elas vão existir em um ligar tão abarrotado? Novas ideias precisam de espaço pra dançar.  

Como liberar espaço em nosso armazenamento interno

Mas e aí, como é que a gente faz? A boa notícia é que existem algumas maneiras de aliviar essa sensação de "HD lotado". Uma forma incrivelmente eficaz e maravilhosa é escrever! Descarregar pensamentos no papel é algo que podemos fazer a qualquer momento, em praticamente qualquer lugar. É como se escrever nos permitisse fazer download da nossa mente. Quanto mais fazemos isso, mais espaço interno criamos... 

Não precisa ser escritor, craque de português e nem fã de redação. Algumas pessoas fazem apenas listas, outras fazem mapas mentais, outras fazem um diário - hábito que está super em alta e ganhou o nome de "journaling". Algumas fazem textos, outras post its, outras poesia. Mas independente da forma, escrever é um hábito que vale a pena ser cultivado com toda a sua dedicação. É um hábito lucrativo: investimento baixo e retornos altíssimos! 

Os benefícios de cultivar o hábito de escrever

A escrita pode se tornar uma ferramenta de desenvolvimento pessoal incrível, quando a trazemos para o nosso dia a dia. Podemos colocar como os ganhos mais notáveis:

Sensação de tranquilidade - Tirar a confusão da mente e trazer para o papel vai gerar um alívio imediato e um pouco mais de serenidade. Vai te ajudar a respirar no meio dessa sensação contínua de afogamento em que vivemos.

Mais controle emocional - Escrever vai te mostrar que é possível olhar para os seus pensamentos e não se misturar com eles. Essa distância entre a sua confusão mental e a sua capacidade de observá-la, vai te ajudar a entender algo precioso: você e toda essa informação não são a mesma coisa. E a partir daí você pode reestabelecer quem manda em quem.

Mais consciência e mais clareza - Ao descarregar as suas ideias no papel você não só organiza sua casa interna, como conhece melhor os seus pensamentos. Isso vai te ajudar a enxergar o que você valoriza, o que é prioridade para você, e assim tomar decisões muito melhores no seu dia a dia.

Despertar seu potencial criativo - Quando a gente olha pra tela ou para o papel em branco, muitas vezes não tem a menor ideia do que escrever. Mas todos temos uma espécie de “fio”, pronto pra ser desenrolado. Assim que você coloca as primeiras palavras e forma a primeira frase, o fio desenrola um pouco mais. Nosso trabalho é achar a ponta desse fio, e puxar, puxar mais, e, ao final, nos surpreender com o que estava dentro da gente e nem imaginávamos. Acredite: você tem esse fio, bem aí! Esse é o componente mágico do hábito de escrever: criar a partir do que nem conhecemos. 

Agora que você já sabe que cultivar o hábito de escrever pode trazer retornos tão altos a ponto de mudar a sua vida, que tal experimentar? Começar é muito simples, só depende de você. 

 

O que é
Namah?

shopping_cart Meu Carrinho

attach_moneyPagamento

0.5110170841217 - 8|5