1. Blog
  2. Lifestyle
  3. Tipos Sanguíneos

Tipos Sanguíneos

27 de maio de 2021
Lifestyle
por Ju Chimeli

Ser fluente na vida é se permitir viver de acordo com suas pulsões, experimentar sem o medo do erro para, a partir da experiência, se conhecer e se permitir fazer escolhas mais acertadas para cada momento da vida.

Cada um de nós temos o código de todas as habilidades e virtudes inerentes a nossa espécie – e cabe à curiosidade e ao propósito de cada indivíduo aquelas que serão evidenciadas.

O sangue representa, no Corpo Físico, a energia da fluência de vida. Na linguagem da Leitura Corporal, os tipos sanguíneos contam sobre as habilidades que estão mais à superfície, mais despertas e desenvolvidas, e que, portanto, fornecem ao Indivíduo as bases mais acessíveis para fazer-se fluente. 

O fator RH é também um descritor dos movimentos da Alma. Ele conta sobre o caminho de aprendizagem mais fácil para aquele indivíduo. O fator RH positivo acontece naqueles com espírito pioneiro, que em qualquer que seja o tema que vieram desenvolver na vida, usam a via do conhecimento para descoberta. Já o RH negativo manifesta a proposta de aprofundamento da compreensão daquilo que já é conhecido, tendo o conhecimento e a especialização como via de evolução.

As tendências servem para serem conhecidas, mas é a liberdade de se apropriar das próprias características e potencialidades que permitem a cada um cumprir a tarefa do sangue: fluir na vida.

Sangue tipo O – Os eleitos

Os indivíduos com o tipo sanguíneo O são aqueles que promovem a integração do todo. Geralmente tem a habilidade de transitar com tranquilidade nas múltiplas possibilidades, atividades e contextos, e tem como grande missão a lembrança do elo e da unidade. 

Não é por acaso que são muitos! Para que a vida continue são necessários muitos para entrelaçar os discordantes, lembrar que tudo tem seu valor e seu lugar e por isso nada precisar ser excluído ou eliminado.

O grande aprendizado para os indivíduos com sangue tipo O é estabelecer limites, pois no cotidiano vivem negociando – é de sua natureza a manutenção dos elos. Porém, para que o elo se faça firme e seguro é necessário contornos bem definidos, de outra forma, tudo se mistura.

Sangue tipo A – Os notórios

O sangue tipo A é marcador de líderes natos, são indivíduos que vieram para serem notados. São dotados da habilidade de se distinguir em qualquer coisa que façam e são alimentados pelo desejo em criar algo diferente e se destacar. Seu lugar é na linha de frente. Quanto mais liberdade para se estar sob os holofotes, mais sociável, flexível e sábio se faz. 

Estar em evidência não tem nada a ver com dominância, mas para o sangue A é tão imprescindível ser notável que caso não se crie espaço para que o consiga através de suas habilidades, pode ser que busque ser visto de outras formas.

A grande tarefa é aprender e ensinar sobre humildade e orgulho, e lembrar toda a humanidade da importância de se reconhecer o próprio valor.

Sangue tipo B – As sensíveis

Para a Leitura Corporal, os indivíduos com sangue tipo B vieram para quebrar o dogma da rigidez dos sentimentos. Fazemos listas e mais listas do que se pode ou não sentir, e eles vieram para nos ensinar que sentimentos podem – e devem – ser sentidos e expressados.

São indivíduos com habilidade de experimentar as nuances das emoções e experimentar sem dificuldades as polaridades inerentes ao sentir. Estão em fluência quando se permitem querer e logo se desinteressar, amar e odiar ao mesmo tempo, estar na vida de acordo com as sensações do momento. O compromisso de estar nas regras pode ser desafiador.

São promotores de aconchego e habilidosos criadores de alianças. Para eles cuidar é tão natural que é preciso estar atento para não se apossar a liberdade do outro. Possuem uma enorme capacidade de comunicação e convencimento e sabem influenciar e promover mudanças em seu entorno. Por isso é muito importante que o tipo B se permita mudar de condutas, opiniões e escolhas quando percebe que o seu sentimento em relação a algo também se modificou. Assim fazendo, eles se tornam representantes do direito, de todos, de experimentar todas as emoções.

É sua tarefa praticar a auto-aceitação e a partir daí, a aceitação do outro.

Sangue tipo AB: Os singulares

Os singulares conjugam, em sua maneira, as habilidades preeminentes nos grupos A e B. Tem desenvolvido o senso de exclusividade como no grupo A, porém aqui é o direito de ser único, e não a notoriedade, o que traz fluência. E como o grupo B tem a sensibilidade aguçada, sobretudo na percepção daquilo que é sutil e essencial nas coisas, seres e situações.

São indivíduos que tem o propósito de evidenciar o simples, espontâneo e natural, ao mesmo tempo que defendem a especificidade. Ser específico é tão essencial, que pode ser que escolham viver à margem da sociedade e dos padrões. A excentricidade é uma característica comum, e apesar de ajustes poderem ser feitos para favorecer a convivência, combater nos singulares aquilo que os fazem excêntricos é abafar sua maior virtude, e em consequência, enfraquecer para todos a referência que se é possível viver de um jeito próprio.

O lugar do AB é na natureza. Eles têm senso ecológico altamente desenvolvido e o desejo de criar relações com outras espécies é inerente. Sua capacidade para compreender as linguagens de diferentes formas de vida é ímpar!

Conhecedores da mediação sadia, não costumam colocar “panos quentes” como a maioria. Sabem como valorizar as razões de todos, criando integração. Por isso é fundamental que o indivíduo AB aceite e desenvolva seu jeito de ser, e assim se torna mais hábil para aceitar e ajudar o outro a desenvolver o jeito próprio. 

A harmonia das relações depende da arte da descomplicação. E é para isso que os singulares aqui estão – para aprender e ensinar que cada um e cada coisa pode ser o que é. Simples assim!

O que é
Namah?

shopping_cart Meu Carrinho

attach_moneyPagamento

0.036362886428833 - 8|8