1. Blog
  2. Desenvolvimento pessoal
  3. Como desacelerar sem perder a produtividade? Aprenda 5 dicas!

Como desacelerar sem perder a produtividade? Aprenda 5 dicas!

03 de setembro de 2020
Desenvolvimento pessoal
por Paty Perdigão

5 dicas para desacelar sem perder a produtividade

“Quero desacelerar, mas sinto que estou deixando de produzir. E se não produzo, não existo.Tenho medo de estar perdendo algo, medo de o mundo estar passando na minha frente.
Quero fazer mais. Quero ser mais.” 

Alguém se identifica? Então aqui vem a boa notícia: É possível desacelerar sem perder a produtividade.

O medo de ser improdutivo já tem nome: FOMO — Fear of missing out. Em bom português:

medo de perder alguma coisa. E eu acrescento que estamos com a síndrome do get things done— de ter que fazer tudo, dar conta de tudo e ainda lidar com a frustração de não alcançar as metas incríveis às quais a gente se propõe. 

Queria te dizer que esse medo é legítimo e, mais que isso, ele é real. Só que não é o mundo que está passando correndo sob nossos olhos, somos nós que estamos correndo acelerados

enquanto o que mais importa está aqui parado, vivendo no presente.

E o que a gente faz então? Desacelera! Mas, se eu desacelerar, consigo produzir? Consegue

produzir ainda mais. O que você precisa é direcionar seus esforços e praticar os 5 passos que vou listar a seguir.

1 - Crie uma rotina

Aquela imagem do gênio que teve uma ideia brilhante no meio de sua bagunça não cola. Pode pesquisar na História: por trás de realizações de grande impacto, existe muita disciplina. É com uma rotina estabelecida que conseguimos nos alternar entre momentos de foco e momentos de descanso, e ambos são condição necessária para a criatividade.

Quando você tem uma rotina, ela te conduz para um estado de flow, muito mais livre do que quando você se sente bagunçado, desorganizado e ansioso.

O Ayurveda (linkar com o texto prazer ayurveda) , sistema de saúde milenar, tem uma forma bem especial de enxergar a rotina. O nome já diz: Dinacharya, a arte de viver. 

Dentro dos pilares da rotina ayurvédica, você encontra práticas de limpeza, purificação e alimentação, conforme os ciclos do dia. O importante é você saber que rotina é treinamento e que é isso que vai potencializar seus resultados em todos os campos — da saúde à vida profissional. Escolha um ou dois hábitos e comece. Só depois incorpore outros.

2 - Aprenda a dizer não

A gente tende a achar que tudo é importante, porque lá dentro queremos provar para nós

mesmos, e para os outros, que damos conta. Pra dizer não, é preciso coragem para desagradar.

Mas é o único caminho para conseguir focar sua atenção no que é realmente importante para você. Se tudo é importante, perceba o que é mais importante AGORA. Não tenha medo de deixar o resto pra depois. 

Conheça um exercício muito poderoso pra isso: faça uma lista de coisas que você quer/precisa fazer. Pegue dois papéis. Escreva os mais importantes em um e os menos

importantes no outro. Eles devem estar equilibrados em quantidade. Priorize.

Agora, está vendo o papel dos menos importantes? Pode amassar, rasgar, picotar. Não é hora de pensar neles. Diga não, mesmo que por um momento, e foque nos outros. 

3 - Menos coisas, menos escolhas

Você já ouviu falar em minimalismo ou essencialismo? Essa é a ideia. Ter menos para ser mais. Quando a gente diminui a quantidade de coisas na nossa frente, também reduz as distrações.

Quando você faz uma “limpa” da sua mesa do escritório ou no seu armário de roupas, você não se sente aliviado só por desapegar, mas porque, com menos coisas, você faz menos escolhas. E escolher suga. Decidir desprende energia. Guarde essa energia para as decisões importantes.

Tire o excesso e facilite sua vida.

4 - Viva o presente

Existem mais pessoas que desistem do que pessoas que fracassam, sabia? O medo de dar

errado lá na frente as impede de tentar. Mas 90% das nossas preocupações não acontecem de fato. Por isso, é importante gerenciar a ansiedade e focar no que está ao nosso alcance hoje, no momento presente.

Yoga, meditação e respiração são ferramentas excelentes para ancorar, mas não como regra. Tudo em que você coloca sua atenção plena está te fazendo ancorar no presente. Fazer uma boa caminhada, ouvir a letra ou a melodia de uma música, tentar um prato novo no jantar, sem expectativas, apenas vivendo. Faça-se presente — e ficará surpreso com os resultados.

5 - Você em primeiro lugar

Não leve tudo muito a sério. Só você. Sim, você é o personagem principal da sua vida. Se leve a sério. Estabeleça compromissos internos. Dormir bem deveria estar entre eles. Comer bem. Se autoconhecer. Estar atento aos sinais do seu corpo e às variações da sua mente. Se você não desacelerar por bem, o corpo desacelera por você. Escolha. Seja protagonista.

Que tenhamos saúde e sobretudo coragem, para desacelerar e enfrentar tantos desconhecidos. Nós, o maior deles. Coragem também para deixar o celular de lado e ouvir ooutro.
Para saborear um almoço em vez de ficar planejando as próximas horas do dia. Coragem e culhão para parar com a supervalorização do busy. Afinal, quem está ocupado não cria nada, muito menos histórias. 

Que a gente se permita fazer uma coisa, e só depois outra. E que a gente seja honesto o suficiente para admitir que nem sempre vamos conseguir estar no mood leveza e positividade — e tudo bem. Mais que tudo, é sobre se perceber, respirar e ter gás para recomeçar.

Se você se interessou por esse conteúdo, vai gostar de ler sobre mindfulness, nesse post (linkar).

Por Paty Perdigão
@patyperdigão

O que é
Namah?

shopping_cart Meu Carrinho

attach_moneyPagamento

0.2846097946167 - 8|6